sexta-feira, 16 de novembro de 2018

Uma espécie... de exercício! #4

Já ultrapassámos o meio do mês e o foco no exercício ainda cá está! Yupiii! Estou tão admirada comigo mesma que continuo a dizer que merecia um prémio. Eu e o meu patudo que está sempre pronto para ir laurear!


Este mês, acrescentámos mais um km em cada caminhada e desafiámos mais vezes a mãe para nos fazer companhia. Aquilo é para andar e não passear!? Chega-se a casa ainda se faz mais uns agachamentos, abdominais e pranchas. É até cansar e suar...muito!
Já vou em 4 atividades que consistem em 19,4 km percorridos em caminhada rápida/tentativa de correr. O numero de atividades é o mesmo que há um mês atrás mas só com mais kms já feitos. Até ao final do mês espero aumentar isto e o meu patamar. A ideia é sempre fazer mais e mais.


Contudo, consegui um ato histórico esta semana: correr mais de um km seguido sem parar. Palminhas para mim! Sim eu sei, é apenas um. Mas significa tanto... Antes nem meio eu conseguia, quanto mais o dobro! Fiquei logo contente! Anos sem fazer exercício que agora o resultado está à vista. Custa e dói reiniciar novamente, mas muita fé em mim que vou lá chegar.

quinta-feira, 15 de novembro de 2018

O meu malho digno de registo

O mundo já sabe que eu fui à ilha da Madeira (Sim fizeste 5 posts sobre isso, caso não te recordes!?) Aliás foi muito constado em todas as revistas. Inclusive tive de recusar uma entrevista à Cristina Ferreira sobre a viagem devido aos meus afazeres que me ocupam. Sou uma pessoa very important pelo que não é a qualquer uma que cedo o meu preciosíssimo tempo. Desculpa lá oh tininha...

(às vezes este cérebro pára. e tem disto!? O que ela faz só para dizer que no final bateu com a tromba numa pedra e ficou com um nariz no formato de um tomate desajeitado)

Bem, vamos ao que interessa. Cheguei a Porto Santo logo pela manhã. O quando eu desejava conhecer. Eu só falava e pensava naquilo. Tanta empolgação para depois...
É uma ilha linda e maravilhosa. Nem precisava de fazer mais nada. Bastava-me estar numa esplanada a apreciar aquele paraíso. Depois de passearmos um pouco pelo centro, almoçamos e estipulamos que iamos para a praia o resto da tarde. Pelo menos fazer tempo até podermos fazer o check-in no hotel. Trocamos de roupa mesmo no carro e lá fomos para a praia.

Estava desejosa de por os pés na areia, já que este ano nem vê-la. E lá fui toda tolinha. Só queria tirar fotos a tudo e gravar na memória aquela tamanha beleza. Fui caminhar, mergulhei, voltei a caminhar e...


...estão a ver estas lindas pedras cheias de musgo?! Pronto, foi numa dessas que eu vi bem de perto. Estava em cima de uma, desse género, para tirar uma foto. Escorreguei e fui com as fuças ao chão. Literalmente. Mas atenção...alevantei-me rapidamente. Foi que nem uma princesa! Foi um malho tão estúpido, tão estúpido que nem sei o que diga... Enfim, it's me!

Resumindo:

  • Assim, que me levantei reparei que estava alguem atras de mim a perguntar se eu estava bem. Algum turista estrangeiro que viu tudo e teve a amabilidade de me perguntar. E eu, de costas, firme a dizer que sim. E sangrava do nariz como senão houvesse amanhã... 
  • Cheguei ao pé do namorado e disse o que se tinha passado e a resposta dele depois de me dar um lenço:"Epah, e eu não vi nada!?". Sim, tipo, foi chato...
  • Dicidi ir à farmácia nesse mesmo dia porque o nariz começou a inchar e estava esfolado. E poxa, eu estava de férias! Era mau para as fotos...  Quando lá cheguei a mulher não tirava os olhos de mim, não sabendo se havia de me perguntar o que se passou ou não. Eu só pensava, Épah não estou assim tão mal!? Estão a exagerar... Lá expliquei e deu-me qualquer coisa para aquele meu negócio...
  • Ao outro dia, acordo pior do que estava. Não tinha dores, apenas dorido. Estava na cana do nariz em cima e à volta do olho toda negra. Literalmente, parecia que tinha levado porrada...Mas não ia deixar que um simples nariz, ainda mais o meu (que já tenho um amor daqueles...) me estragasse as férias! Mete os óculos de sol e lá vai ela toda pimpona!! Mas quando os tinha que tirar ai jasus...que desgraça!
Enfim, um circo pegado! E pior de tudo, vim de férias e o pisado ainda se notava. Fui trabalhar e a prova do crime ainda se mantinha lá. O ridículo de explicar o que aconteceu foi que demoravam a acreditar. Fui gozada a torto e a direito. Também fiz por merecer. E digamos cá uma coisa: quando é para ser é para ser! Que nem uma princesa!!

quarta-feira, 14 de novembro de 2018

Madeira - Parte 5


Pronto, prometo que é o meu ultimo post sobre a Madeira. O que vou contar sobre o que me aconteceu lá não conta, ok?? Aqui a falar sobre as ultimas e a desejar já pelas próximas... Ai, ai...minha vida!

 E só para acabar assim em beleza, levam logo com uma foto minha toda despenteada e toda rota, para além de outras coisas. Sim, aqui já estava com aquela caminhada que não acabei (Liliana és uma vergonha) no lombo e doía-me tudo. Em tudo o que era canto eu sentava-me. É que não podia ver o mais pequeno banco que fosse. Tudo parecia confortável desde que estivesse alapada.

Bem, este post é sobre o Funchal o qual não tive oportunidade de aprofundar a fundo. Apenas passeámos lá e aproveitámos para comprar umas lembranças (quase tudo imans para o frigorífico), e comer um gelado que era tudo de bom. Fomos até ao museu do Cristiano Ronaldo e não é que estive com ele??!! ahahah....

Como sempre, não saio do básico: chocolate e stracciatella. Isto era o céu!


Na praça do município do Funchal


sexta-feira, 9 de novembro de 2018

Uma espécie....de exercicio! #3

Isto de meter fotos da Madeira para recordar o tempo maravilhoso que lá apanhei é coisa de quem é masoquista ou então só mesmo para nojo! Neste mundo há gente capaz de tudo e a prova está aqui...

Então, assim só para desenjoar disso (porque só me falta um post sobre o Funchal) vamos falar da minha atividade fisica?? Não é que tenha qualquer tipo de interesse...mas tenho um comunicado a fazer:

Odeio pranchas! Mas é que odeio mesmo!! Quem inventou tal tipo de exercício estava muito mal psicologicamente para o fazer. O que essa pessoa precisava sei eu! É que não há mais justificação possível para tal agressividade a este rico corpinho cheio de pneu. É que dói! E não é pouco....

Existem várias versões de Prancha mas a que eu ando a fazer é a Prancha isométrica (tal como mostra a imagem). Esta consiste em manter o corpo paralelo ao solo tendo apenas como base os pés e os cotovelos apoiados no chão, durante um período de tempo. Este exercício traz resultados a nível do fortalecimento e definição dos músculos abdominais. Não se pode ter dores de costas (isso é sinal de que estamos a fazer algo mal) e a força tem de se concentrar na parte abdominal. A respiração também deve ser feita dentro da normalidade.


(Imagem:internet)

Neste mês já vou com duas caminhadas - meio corrida, meio caminhada -  de 5km cada. O foco está a manter-se. E só se as pranchas me ganharem, espera-se que continue. A ver vamos. Prognósticos só no fim do jogo, como se costuma dizer.
O objetivo é ir começando a acrescentar mais exercícios. Comecei pelos agachamentos e ao outro dia não me aguentava das pernas. Juntei abdominais e as pranchas. Parece que levei uma malha de porrada só na barriga... Aos poucos vou juntando mais atividades mas a prancha é sempre a ultima. E rezemos muito!!...porque são os 30 segundos mais longos do dia.

Dizem que esta prática de prancha é a mais simples. Nem quero pensar nas outras, pelo menos por enquanto!? Se acham isto simples vou ali e já venho...

Para quem não fazia nada. Preguiçosa acima de tudo. Até estou admirada comigo mesma. Já fui magra e quis engordar. Agora é ao contrário. E a menos que o meu pneusinho abdominal desapareça por obra do espirito santo vou ter que levar com as pranchas. Toma lá que é para aprenderes! Não é só enchafurdar na comida.


quinta-feira, 8 de novembro de 2018

Madeira - Parte 4

Ir à Madeira e não ir a Porto Santo deveria dar direito a aplicação de imposto. Aquilo é o paraíso!! Sem tirar nem pôr... E ai de quem diga que não... 
A água é mesmo desta cor... Azul intenso. Tão lindo! 
E entra-se muito bem na água! Fui a banhos não sei quantas vezes.




quarta-feira, 7 de novembro de 2018

Madeira - Parte 3

O "Cabo do Girão" é talvez um dos melhores miradouros da Madeira. Lá pode-se ter uma vista maravilhosa da ilha. Mas minha gente, é muita curva para chegar lá acima! É um verdadeiro teste a mim mesma que não se dá lá muito bem com curvas e contracurvas. O meu estômago não aguenta tamanha violência. Mas pronto. Chego lá cima e vejo isto e tudo passa.


Neste mesmo dia fomos ao Pico do Arieiro. Sim, não me dando por contente, toma lá mais umas não sei quantas curvas em cima. Coisa pouca... E como não queria chegar lá tirar umas fotos e por-me num carro novamente meti na cabeça que iamos até ao Pico do Ruivo mas a pé através de percurso pedestre. Eram cerca de 7 km para lá. Só não pensei que eram a subir e a descer muitas escadas. Ia morrendo!! Não chegamos a fazer o percurso todo... não aguentámos... eu não aguentava mais. Mas atenção, a paisagem é lindissima e de cortar a respiração mas eu não tinha preparação física para este tipo de exercício. Uma coisa é certa, vou lá voltar e fazer o trilho novamente. "Desistir" não é o meu nome do meio. E que os "Picos" se preparem! (é o que dá armar-me em carapau de corrida!).