quinta-feira, 14 de setembro de 2017

Cobranças

Cobrar é algo que não gosto muito de fazer. E há dois tipos de cobrança: de dinheiro ou de sentimentos. 
A cobrança de dinheiro nem deveria de existir, porque se é nosso nem deveríamos ter que pedir o que nos é devido por direito. Infelizmente, nos dias que correm, há uma necessidade constante de cobrança nesse aspeto. É as empresas que não pagam salários mas que acham que as pessoas tem que continuar a trabalhar porque é um favor que lhes estão a fazer; é um amigo que pede dinheiro emprestado e age como se fosse "emprestadado";  é o Estado que emite notas de liquidação sobre tudo e mais alguma coisa...(e se continuasse não acabava mais...)
Por outro lado, temos a cobrança de sentimentos. Este tipo é o mais complicado e difícil de digerir. Para além de que acho que é muito mau tanto para quem está a ser cobrado como para o cobrador. É um pau de dois bicos que nunca acaba da melhor maneira. E o mal é começar.  Quando num casal ou na família, há uma tendência para exigirem uns dos outros o que quer que seja é sinal que alguma coisa não está bem. É sinal, de que essas situações se acontecem é porque tem que haver motivos que as originam e que devem ser analisados em conjunto de forma a poder resolver a questão. E nunca devem tirar logo conclusões precipitadas. Antes de cobrar deve-se tentar sempre a conversa. Partindo de imediato para a cobrança é meio caminho andado para a chatice, para deixarem-se de falar, para separarem-se porque já não aguentam mais isto ou aquilo...
Cobrar é feio.

E o que vocês acham "do cobrar"?

2 comentários:

  1. É uma palavra que não gosto, para mim tem conotação negativa pois estamos a obrigar a outra pessoa a fazer algo, seja a nível monetário, seja ao nível de sentimentos..
    Beijinhos,
    http://chicana.blogs.sapo.pt/

    ResponderEliminar