sábado, 6 de janeiro de 2018

Fica quem pertence ao coração

Há coisas que nos acontecem, que não são por acaso. Aliás, sempre fui dessa opinião. Podemos é não estar com os olhos, mente e coração abertos para perceber o "porquê" no momento. Mas mais tarde a explicação e o sentido chegam.
E perante essas coisas teremos (ou não) que tomar decisões que podem (ou não) mudar todo o rumo da nossa história. Decisões que envolvem, sobretudo, pessoas. Talvez as mais difíceis de tomar mas também as mais necessárias. 
Muitas vezes nem damos conta do quanto nos podem fazer mal. Podemos até dizer que não nos afetam mas só a "obrigação" de interagir com elas já faz mal.Outras passam ao lado mas que deixam rasto. Nem sempre agradável. (quase nunca é).
O importante é determinar quem entra ou deixamos entrar na nossa vida. Decisão essa, de exclusiva responsabilidade nossa. Devemos valorizar apenas (e só apenas) quem nos faz bem, quem nos acresce, quem nos alimenta a alma, quem nos ama.
É isso que pretendo cada vez mais fazer. Manter de perto quem apenas deve estar.
(Foto: Telemovel)

2 comentários: