quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Ser filha única... ainda bem que não! !

Em tempos, eu queria ser filha única. Sim, quando era pequenina. Pensar que podia ter os meus pais só para mim, sem ter que os dividir com ninguém era uma alegria. Saber que era o centro das atenções e que todos os mimos eram só meus foi um sonho que durou muito pouco tempo. "Foi sol de pouca dura".
Depois dos meus 4 anos, chegou lá a casa a primeira criança (comprada na feira, pensava eu! ahahah). Um ano a seguir mais uma... E assim, se foi o meu sossego.
Tinha que tomar conta delas, levá-las para todo o lado atrás de mim, emprestar-lhes as minhas roupas e os meus brinquedos, levantar-me cedo para ir à missa ao domingo...enfim, era um terror. E sempre que acontecia alguma coisa eu era sempre a culpada de tudo (quem é filho mais velho sabe do que estou a falar, não é?). Estávamos sempre a implicar umas com as outras e a fazer asneiras. Era o fim do mundo lá em casa. 
Hoje, como é óbvio, não penso assim. Era uma criança... Hoje, continuo a tomar conta delas e a defende-las no que for. Faz parte da minha função de irmã mais velha. Mas acho que sempre fez parte de mim (eu é que não me apercebi disso). Instinto protetor. Sempre esteve lá, nas pequenas coisas, em pequenos gestos. Os meus cunhados já estão mais que avisados (ahahah...coitadinhos!).
O que seria da minha infância sem aquelas pestes?! Não ia ter graça nenhuma. E hoje as palhaçadas não iam ter a piada que tem, nem as conversas seriam as mesmas. Aliás,  a minha vida não seria da mesma forma sem elas. Com certeza, mais sem sal. Apesar de tudo, gosto muito delas. E mesmo que nos separamos as vidas estarão sempre ligadas e quando for preciso eu sei, e elas também,  que estaremos unidas e fortes. Para o que eu precisar eu sei que vão estar lá.  E o mesmo se for ao contrário.  Somos irmãs,  não precisamos de ser mais nada. Vestimos a camisola como deve ser.
Afinal, não foi assim tão mau, a minha mãe comprá-los na feira!

E daí,  quem tem irmãos? Ou são filhos únicos?
 (Imagem: Retirada da internet)

8 comentários:

  1. Eu, felizmente, tenho um irmão! Acho que não ia gostar nada de ser filha única! :D

    amarcadamarta.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  2. Eu sou filha única e sempre odiei.
    O que me valeu foi que tenho muitos primos.
    A minha filha ainda é filha única, mas espero que não seja :)

    ResponderEliminar
  3. Por aqui somos três irmãs. Já tive fases, principalmente em adulta, que quis ser filha única. Na maior parte do tempo damo-nos bem, acho. Na outra parte do tempo, que não é pequena, damo-nos mais ou menos. ;)
    Acho que vou tendo sorte, porque sou a mais nova e até me vou dando mais pacificamente com uma e com outra. As mais velhas são mais o tempo que se dão mal, que o tempo que se dão bem. ;)

    Beijinho d'

    A Marta
    https://amartaeumblog.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  4. Respostas
    1. Eu também gostava de ter um mano! mas só vieram meninas lá para casa! o meu pai vê-se consumidinho no meio de tanta mulher... ahahah

      Eliminar